fb-embedMicrolearning é aposta para programas de desenvolvimento HSM Management

Gestão de pessoas

5 min de leitura

Microlearning é aposta para programas de desenvolvimento

Formato flexível e versátil da metodologia é atraente para o onboarding, treinamentos e atração e retenção de talentos

Angela Miguel

06 de Outubro

Compartilhar:
Artigo Microlearning é aposta para programas de desenvolvimento

A pandemia e o tão apregoado distanciamento social fizeram com que muitos jovens brasileiros buscassem conteúdos online voltados ao desenvolvimento das hard e soft skills – muitos deles disponíveis via microlearnings. Essa foi uma das constatações da pesquisa The Truth #7, elaborada pela consultoria Eureca em 2020. Seus achados podem (e devem) ser utilizados pelas áreas de gestão de pessoas das empresas com o objetivo de atrair e reter os novos talentos do mercado.

De acordo com o levantamento, que ouviu 1.153 jovens em todo o Brasil com idade média de 24 anos, quase metade dos entrevistados (48,14%) disse estar mais interessado em se desenvolver por meio de canais digitais e online. Outra boa notícia é que 79,2% dos pesquisados já têm o hábito de estudar.

Entretanto, é para os 20,6% – os quais dizem não ter o hábito, mas gostariam de desenvolvê-lo – que o RH pode realmente fazer a diferença. Incríveis 100% desses jovens (que desejam ter o hábito de estudos, mas ainda não o têm) acreditam que microlearnings aumentariam seu aprendizado, especialmente devido ao seu formato versátil, como vídeos e textos curtos relacionados a conteúdos de treinamentos formais.

O que é o microlearning?

Microlearning é um formato de aprendizagem flexível, cujo princípio é quebrar um assunto mais complexo em pequenas pílulas com informação objetiva e focada. Assim, ele incentiva o aprendizado por partes, ou seja, de forma contínua e rotineira.

Sua principal característica é ensinar um tema, em linguagem simples e direta; e a “aula” deve ter duração de até cinco minutos. Segundo o professor Larry D. Rosen, psicólogo e autor do livro The Distracted Mind, esse é o tempo máximo que uma pessoa consegue se concentrar em algo sem desviar a atenção para outra coisa qualquer.

A modalidade do microlearning é online, e o ideal é que o conteúdo possa ser acessado por diferentes dispositivos a qualquer hora e de qualquer lugar. Uma dica é reunir diferentes linguagens para ensinar o conteúdo, o que costuma prender mais a atenção da pessoa. O uso de recursos multimídia na educação, de uma forma geral, resulta em maior compreensão e retenção do que é ensinado.

São muitas as possibilidades de linguagem a serem usadas no microlearning, mas sempre prezando pela curta duração e acessibilidade. É possível encontrar microlearnings em formato de artigos, áudios, imagens, infográficos, podcasts, questionários, quizzes, testes, textos, vídeos e jogos (games com missões e pontuações).

Qualquer formato – ou mix de formatos – é válido. Entre eles, uma boa pedida é criar um aplicativo gamificado, que seja customizado e alinhado ao negócio da companhia. Esses aplicativos até podem estabelecer, por exemplo, rankings e prêmios aos jogadores, enquanto se estimula a capacitação e o engajamento dos participantes.

Aplicações diversas

Os microlearnings servem para quase todas as situações em que o objetivo é ensinar algo novo para os funcionários ou atualizar expertises já adquiridas. Além disso, o método pode ser adotado para que uma série de conteúdos relevantes para o business da organização fique disponível aos colaboradores para consulta, dúvidas pontuais ou para solucionar problemas que possam surgir no dia a dia. O microlearning, portanto, funcionaria como uma biblioteca personalizada e de confiança sobre o negócio.

Como é bem aceito pelos jovens, conforme indicado pela pesquisa da Eureca, a metodologia pode auxiliar o RH no processo de recrutamento e seleção e de boas-vindas a novos colaboradores. Ao serem contratados, eles podem aprender sobre a empresa, seus valores e sua missão, sua cultura organizacional de um jeito mais leve, moderno e divertido.

As atividades inerentes ao cargo também podem ser passadas por meio desse método de aprendizagem. Uma vez que o microlearning apresenta fácil assimilação e alto aproveitamento, o RH possui a oportunidade de criar vídeos e textos curtos para o treinamento e o desenvolvimento de colaboradores, especialmente para os jovens, público especialmente engajado neste tipo de formato.

De forma complementar, o RH ainda pode criar espaço virtual para chat e ferramentas colaborativas para promover maior socialização entre as pessoas. Isso também pode abrir espaço para a troca de experiências entre novos e antigos colaboradores ou entre funcionários de diferentes gerações.

Benefícios para a educação corporativa

Inicialmente, oferecer microlearnings vai de encontro a uma expectativa da juventude, segundo o levantamento da Eureca. Isso gera engajamento e pertencimento, fatores que reforçam a retenção de talentos. Entretanto, há muitos outros benefícios para a educação corporativa.

Por serem de curta duração, os microlearnings permitem que os profissionais recebam treinamento sem impactar a rotina do trabalho ou sem causar queda na produtividade. Além disso, com o uso desse formato, a assimilação é mais elevada, em especial para ocasiões em que o ensinamento é aplicado automaticamente no dia a dia.

O processo de aprendizado em pequenas sessões, quando acessadas periodicamente, leva com o passar do tempo à criação de hábitos. A organização, portanto, ganha colaboradores que adotam o lifelong learning – profissionais que buscam sempre aprender mais no decorrer da vida são muito desejáveis por qualquer empresa de vanguarda.

Logo, a proposta dos microlearnings facilita a criação e produção de conteúdos personalizados pelo RH e garante agilidade ao processo, seja para quem fornece a metodologia ou para quem a consome. Outra vantagem é a atualização e gestão do conteúdo, de maneira fácil e rápida, já que está em ambiente digital.

Sempre é bom lembrar que uma empresa é feita por pessoas. Para se manter relevante, ela precisa evoluir sempre. Com o alto número de jovens desempregados – mais de 600 entre os quase 1200 entrevistados pela consultoria –, sua atração é importante para empresas que desejam se manter inovadoras e atualizadas. E a juventude está ávida por uma posição no mercado de trabalho para provar seu valor.

O E-Dossiê: Jovens Talentos é uma coprodução de HSM Management e Eureca.

Compartilhar:

Autoria

Angela Miguel

Angela Miguel é editora de conteúdos customizados em HSM Management e MIT Sloan Review Brasil.

Artigos relacionados

Imagem de capa Segurança financeira está ligada à saúde mental, motivação e produtividade do colaborador

Gestão de pessoas

01 Dezembro | 2021

Segurança financeira está ligada à saúde mental, motivação e produtividade do colaborador

Experiências e pesquisas mostram que saúde mental e redução de turnover são mais fáceis de alcançar quando a empresa investe no bem-estar financeiro dos funcionários

Leonardo Pujol

5 min de leitura

Imagem de capa Ser mãe te torna uma profissional melhor para o mercado?

Desenvolvimento pessoal

29 Novembro | 2021

Ser mãe te torna uma profissional melhor para o mercado?

Sem dúvida, a resposta é sim! Mas se você não entende as razões para isso, características como adaptabilidade, previsibilidade e visão sistêmica se tornam diferenciais para o mercado de trabalho

Bruna De Falco

4 min de leitura

Imagem de capa People analytics ajuda a reter jovens talentos

Tecnologia e inovação

26 Novembro | 2021

People analytics ajuda a reter jovens talentos

A combinação entre inteligência de dados e sensibilidade humana otimiza processos de seleção – e tem tudo para alavancar carreiras

Renata Cardoso

4 min de leitura

Imagem de capa Dados e recrutamento: como construir um canal de aquisição de talentos?

Gestão de pessoas

26 Novembro | 2021

Dados e recrutamento: como construir um canal de aquisição de talentos?

Uma metodologia específica e um conjunto de ferramentas ajuda a selecionar e contratar profissionais de tecnologia, especialmente seniores

Augusto Frazão

3 min de leitura

Imagem de capa Gestão de desempenho deve estar alinhada à cultura e ao negócio da empresa

Gestão de pessoas

23 Novembro | 2021

Gestão de desempenho deve estar alinhada à cultura e ao negócio da empresa

Processo de avaliação exige valores claros, apoio tecnológico e o engajamento de líderes e colaboradores

Luiz Eduardo Kochhann

4 min de leitura

Imagem de capa Aqui estão algumas ideias para gerenciar um time híbrido

Gestão de pessoas

22 Novembro | 2021

Aqui estão algumas ideias para gerenciar um time híbrido

Não voltaremos ao modelo de trabalho pré-pandemia. Adaptação e flexibilidade são as competências essenciais do momento

Paulo César Teixeira e Leonardo Pujol

5 min de leitura