fb-embedComo o protagonismo feminino pode agir em áreas tradicionalmente masculinas HSM Management

Diversidade

2 min de leitura

Como o protagonismo feminino pode agir em áreas tradicionalmente masculinas

Mais assíduas na internet e com poder de decisão de compra maior, elas são essenciais na digitalização de setores ainda pouco conectados e, em geral, liderados por homens

Colunista Elisa Rosenthal

Elisa Rosenthal

26 de Maio

Compartilhar:
Artigo Como o protagonismo feminino pode agir em áreas tradicionalmente masculinas

As mulheres estão mais presentes que os homens na internet. Essa é uma das conclusões da pesquisa Elas: Comportamentos e barreiras, divulgada no início de maio pela Nielsen, líder global em insights de audiência, dados e análises, em parceria com Opinion Box, empresa especializada em pesquisas de mercado online. De acordo com o levantamento, 90% do público feminino consultado usa a internet diariamente. Entre os homens, a taxa é de 83%.

Num contexto em que sete em cada dez empresas atuam nas redes sociais, nos aplicativos ou na internet para impulsionar suas vendas, segundo dados da FGV, não podemos mais ignorar o poder de influência e protagonismo das mulheres. É um desafio ainda maior para setores pouco digitalizados e comumente liderados por homens, como o imobiliário.

Na última pesquisa elaborada pelo Instituto Mulheres do Imobiliário, em parceria com a maior plataforma multitarefa móvel da América Latina, PiniOn, identificamos que 35% dos contratos de financiamento já eram assinados pelas mulheres. Ao interpretar os dados sobre a conectividade do público feminino e o aumento da sua presença no acesso ao crédito, desenvolvi, em parceria com a fintech CrediAll Tech, a primeira linha de crédito imobiliário voltada exclusivamente para mulheres.

Além de taxas diferenciadas e serviços que facilitam o acesso ao crédito, o programa, que recebeu o nome de CrediAll Mulher, reverte parte dos ganhos da empresa à rede Mapa do Acolhimento, entidade que atua no combate à violência doméstica.

Outra frente potencial é a de eventos. Nos dias 29 e 30 de abril, o Instituto Mulheres do Imobiliário realizou o evento presencial Soma, com o objetivo de mostrar o setor "mais completo com as protagonistas". Com mais de 30 palestrantes e uma audiência predominantemente feminina, os painéis destacaram como as principais executivas e influenciadoras do segmento transformam os dados em estratégias de negócios, ações de impacto e resultado de venda.

Esses casos práticos mostram a importância de interpretarmos os números do crescimento do protagonismo feminino e traduzi-los em ações, especialmente em setores em que elas se destacam, como a pesquisa da Nielsen apontou: música, notícias, séries e conteúdos relacionados à saúde e beleza. Além disso, em vestuário, alimentos e eletrônicos, as mulheres estão à frente dos homens na decisão de compra.

Pensar em soluções que atendam à demanda feminina é uma missão para as lideranças estratégicas que ainda enfrentam dificuldade em estabelecer e cumprir os percentuais mínimos de participação feminina nesses cargos. Resta saber se a mesa em que as decisões estratégicas e os desenhos de produtos de nicho para o público feminino acontecem é composta, também, por executivas.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Elisa Rosenthal

Elisa Rosenthal

Elisa Rosenthal

Elisa Rosenthal é a diretora presidente do Instituto Mulheres do Imobiliário. LinkedIn Top Voices, TEDx Speaker, produz e apresenta o podcast Vieses Femininos. Autora de Proprietárias: A ascensão da liderança feminina no setor imobiliário.

Artigos relacionados

Imagem de capa Quase 50% das vagas para PcDs no Brasil estão desocupadas

Diversidade

08 Agosto | 2022

Quase 50% das vagas para PcDs no Brasil estão desocupadas

Além de multas, empresas que não cumprem lei de cotas perdem muito mais, incluindo impacto negativo de imagem entre seus funcionários

Sandra Regina da Silva

5 min de leitura

Imagem de capa Representatividade e fidelização de talentos nas empresas

Diversidade

18 Julho | 2022

Representatividade e fidelização de talentos nas empresas

É tempo de as organizações irem além do discurso da diversidade por resultado e olharem para a experiência que proporcionam aos colaboradores no dia a dia

Zeni doVale

4 min de leitura

Imagem de capa Contratação de minorias e LGPD: como lidar com a insegurança jurídica

Diversidade

30 Junho | 2022

Contratação de minorias e LGPD: como lidar com a insegurança jurídica

Lei Geral de Proteção de Dados impõe limites ao tratamento de dados pessoais na contratação de minorias. Mas isso não quer dizer que empresas devem deixar de buscar a inclusão e a diversidade

Priscila Novis Kirchhoff, Jackeline Gomes Falcão e Rafaella Medina Peres

5 min de leitura

Imagem de capa Como sua organização pode ser para todos e todas

Diversidade

29 Junho | 2022

Como sua organização pode ser para todos e todas

Esse é um longo caminho que passa ainda por inclusão, equidade e pertencimento

Fred Alecrim

3 min de leitura